Colocado Sunday, 19 April, 2015 por Portugal Motorsport

Share Share Share

Wolf 1Os Campeonatos Nacionais de Velocidade começaram em Braga tal como no ano passado, animando o Circuito Vasco Sameiro com diversas corridas umas mais interessantes que as outras, mas com o CNV a não ter a adesão esperada por todos os participantes que apostam nesta fórmula para correr.

 

Na primeira corrida do CNV, Francisco Abreu e Armando Parente, depois de Miguel Barbosa, que arrancou da pole-position, ter comandado durante as primeiras voltas. Foi uma uma vitória confortável, que acabou por ficar mais facilitada pois nas paragens nas boxes, Nogueira perdeu muito tempo, ao não conseguir colocar o Tattus a trabalhar rapidamente.

 

Miguel Cristóvão, na mesma paragem, engrenou a marcha atrás no Wolf, por engano e um pouco mais a frente, o carro da CRM sofreria um Drive-Through, dado o motor não ter sido desligado durante a troca de pilotos, terminando no terceiro posto, atrás de Barbosa/Nogueira.

 

TEAMNOVADRIVER_CNV2015_BRAGA_0006Nuno Batista e Pedro Marreiros venceram entre os GT’s  e entre os C3, Paulo Sá Silva e Miguel Lobo foram os vencedores fáceis, após o abandono de Gonçalo Rodrigues por problemas de embraiagem.

 

Na segunda corrida, marcada por alguma confusão à partida, que eliminou desde logo Ivo Nogueira,  Miguel Cristóvão e José Pedro Faria venceram, batendo Armando Parente e Francisco Abreu após um duelo entre as duas duplas, que durou até à penúltima volta, altura em que o piloto do Wolf passou para a frente.

 

No terceiro posto ficaram Pedro Salvador e Rafael Lobato que tinham partido da pole, mas que nunca conseguiram mostrar o mesmo andamento dos dois carros da frente, ao passo que Paulo Silva e Miguel Lobo venceram sem dificuldades entre os concorrentes da classe C3 e Nuno Batista e Pedro Marreiros não tiveram qualquer dificuldade em se impor entre os GT’s.

 

A jornada dupla de Braga, foi ainda completada por corridas de Clássicos e pelo Desafio Único.NunOrganistA-2

Manuel Barros foi o vencedor da primeira corrida de LCC, com o Sierra 500 na frente de  André Pimenta e Sérgio Pinto que  completou o pódio. No dia seguinte seria Vasco Barros a vencer, depois de ultrapassar Manuel Barros e no terceiro lugar do pódio ficaria Alexandre Nogueira com o Honda Integra Type R estreia com o Honda em corridas nacionais.

 

No CNCC, os vencedores foram distintos numa grelha que agora engloba os dois campeonatos de clássicos circuitos.

 

Rui Costa no Ford Escort RS foi o vencedor da primeira corrida do Campeonato Nacional de Clássicos, depois de ter sido batido nos treinos por Rui Alves que partiu da “pole”, mas que poucos metros comandou, sendo quase de imediato ultrapassado por Luis Barros, que seria depois forçado a abandonar à 9ª volta. A liderança ficou então nas mãos de Rui Costa sempre com Rui Alves muito perto. Nos 1300, Gonçalo Monteiro foi o melhor desta corrida, à frente do Datsun 1200 de Vitor Araújo.

 

IMG_7703Rui Costa repetiu o triunfo na segunda corrida, apesar de nova grande oposição por parte de Rui Alves. Apenas nas dobragens, Costa conseguiu garantir alguma vantagem para o seu adversário, que conseguiu um sólido segundo posto, à frente de Filipe Matias que subiu ao degrau mais baixo do pódio como Lotus Elan. Entre os Clássicos 1300, Gonçalo Monteiro não teve dificuldades em se impor, desta feita à frente de José Fafiães e Carlos Santos.

 

Na Challenge Desafio Único, a primeira corrida foi dominada por Luís Delgado / Raúl Delgado (FEUP 3) e André Martins / José Monteiro (FEUP 2) sendo que no Domingo seriam Paulo Ribeiro / António Ferreira a vencer na FEUP 3, enquanto os melhores da categoria FEUP 2, seriam de novo André Martins / José Monteiro.

   
Categorias | Destaque, Portugal Motorsport, Velocidade, Velocidade-Noticias

Share Share