Colocado Sunday, 21 June, 2015 por Portugal Motorsport

Share Share Share

1N MATOS 01_resizeNuno Matos e Filipe Serra (Opel Mokka Proto) venceram mais uma prova do CNTT, a Baja Proença – Oleiros – Mação e cimentaram a sua vantagem sobre os mais diretos adversários, nas contas do campeonato, que agora entra na sua fase derradeira.

 

Atrás de Matos / Serra, colocaram-se os outros protagonistas da prova, Helder Oliveira / Nuno Rodrigues da Silva (Nissan Navara) Off Road, que discutiram durante toda a prova a vitória, chegando mesmo a comandar durante algum tempo, até se atrasarem alguns minutos, atrás de Miguel Barbosa / Miguel Ramalho, que tiveram nesta, uma prova para esquecer.

 

O ex-campeão nacional, nunca pareceu estar em condições nem físicas, nem ter o seu carro nas melhores condições para discutir o triunfo, apesar da vitória na super-especial, que o lançava na frente do pelotão, mas nos pontos controlados pelos organizadores, logo no primeiro setor seletivo, cedo foi ultrapassado por Oliveira e Matos, este último a passar para a frente da prova, já na derradeira fase do primeiro setor seletivo, mercê do atraso de Helder Oliveira e Miguel Barbosa.

 

2H OLIVEIRA01_resizeA encerrar os lugares do pódio acabou por se colocar João Ramos / Vitor de Jesus (Toyota Hilux) atrasados no Prólogo por saída de pista – que ainda assim não fez com que o mesmo fosse interrompido, pois o carro não impedia a passagem dos restantes – e que fizeram uma prova de trás para a frente, acabando por beneficiar no final do enorme atraso de Miguel Barbosa, que esteve parado no SS 2 durante muito tempo, com o carro semi-atravessado na pista, mas que depois da ultrapassagem de Matos e Oliveira – bem marcada no carro de ambos – impediu que todos os outros continuassem em prova, acabando os organizadores por não realizar para todos menos para Matos, Oliveira e Barbosa, o último percurso de cerca de 40 Km até à meta em Oleiros, atribuindo a todos os lesados o tempo realizado por Helder Oliveira e ao piloto do Mitsubishi Proto, o tempo total efetuado no setor, contabilizando a paragem – longa – que efetuou, antes de poder retomar a marcha.

 

Assim a dupla Miguel Barbosa / Miguel Ramalho acabaram por baixar ao sexto lugar, não atendendo os organizadores os protestos de alguns concorrentes que o acusavam de ter obtido ajuda externa para colocar o carro a trabalhar, já que os organizadores que estiveram no locar para tentar desimpedir a pista – como aconteceu por exemplo em Portalegre no ano passado,  em que muitos foram os pilotos ajudados por tratores, veículos da organização ou tratores… a sair de buracos ou lamaçais sem que isso, os levasse a serem desclassificados –  não tiveram nenhuma intervenção em termos de ajudar os pilotos a colocar o carro em marcha, começando o mesmo a trabalhar, por intervenção direta do piloto e do navegador.3C SEQUEIRA 03_resize

 

Os restantes dez pilotos, vieram em ligação para o parque fechado de Oleiros – nem todos concordavam com a situação, como foi dito na altura, mas acabaram por aceitar a decisão – e a classificação final foi assim estabelecida ponderando os tempos efetuados pelos dois primeiros – com o tempo realizado por Helder Oliveira a servir às mil maravilhas para alguns, que nunca teriam andamento para o realizar mo setor – e com  Miguel Barbosa a ter contabilizado, todo o tempo efetuado com atrasos, na prova.

 

Em termos de classificação final, Pedro Ferreira e Valter Cardoso, ficaram logo atrás de João Ramos com o Depieres 2RM e á frente de Alexandre Mota / Luis Martins, os primeiros T8, logo antes de Miguel Barbosa e Miguel Ramalho.

 

César e Tânia Sequeira foram oitavos e primeiros do T2, atrás do RAV 4 de T8 de Avelino Martins e na frente da equipa espanhola Josep Solé / Laura Dias, num Mitsubishi de T2.

 

Terminaram a prova apenas 13 concorrentes, pelo que atrás de Solé, aparecem Luis Ferreira / Pedro Colaço, os terceiros T2, Rui Lopes / Pedro Cabral, os melhores do Desafio Total Mazda e ainda mais uma equipa de T2, Filipe Carvalho / Maria Carvalho e o derradeiro sobrevivente do Desafio Total Mazda, João Rato / João Ratinho, fortemente penalizados pelo tempo que perderam com uma mudança de caixa forçada entre SS1 e SS2.4ALEX MOTA_resize

 

A próxima prova é a Baja TT Idanha, a realizar nos dias 11 e 12 de Setembro, também com organização da Escuderia Castelo Branco.

 

Declarações dos vencedores:

Nuno Matos: Não podia ter corrido melhor. Depois do triunfo no Algarve e da subida ao primeiro lugar no campeonato, vencer aqui é muito especial. Primeiro, porque consolidámos a posição no Nacional. Depois, porque sempre gostámos muito destas pistas e, desta vez, sentimos que pudemos tirar partido do potencial do Opel Mokka Proto. Por fim, já tínhamos feito segundo e terceiro aqui. Só nos faltava a vitória que agora conseguimos. Estou muito contente com este resultado. Foi mais uma vitória da equipa. O momento que estamos a atravessar deixa-nos extremamente felizes”.

 

Após as quatro primeiras provas da temporada, Nuno Matos lidera com 88 pontos. O piloto de Portalegre tem mais 23 pontos do que Miguel Barbosa, que ocupa o segundo posto, e uma vantagem de 31 pontos para Hélder Oliveira, que é terceiro.

 

Classificação final da Baja TT Proença/Mação/Oleiros

1º    N. Matos/F. Serra        Opel Mokka Proto        5h15m08s

2º    H. Oliveira/N.R. Silva        Nissan Navara        a 6m29s

3º    J. Ramos/V. Jesus        Toyota Hilux            a 32m27s

4º    P. Ferreira/V. Cardoso        Depieres 2RM            a 45m14s

5º    A. Mota/L. Martins        Nissan Navara        a 49m47s

   
Categorias | Destaque, Portugal Motorsport, TT, TT-Noticias

Share Share